Salão do Brinquedo de Lisboa

Mais um Salão do Brinquedo, o último deste ano, a realizar como habitualmente no Hotel Roma, em Lisboa, das 10h00 às 18h00 do dia 2 de Dezembro, onde os coleccionadores desta e de outras especialidades (como a Banda Desenhada) poderão encontrar boas surpresas…

Advertisements

Sérgio Godinho: do mundo das canções para o mundo da BD

Entrevista dada à estampa no jornal Público, de 4/11/2017, e que reproduzimos com a devida vénia. Fernando Dordio e Osvaldo Medina são os autores do álbum “O Elixir da Eterna Juventude – Uma Dança no Mundo de Sérgio Godinho”, editado pela Kingpin Books.

O Amadora BD 2017 já encerrou… ficaram os prémios

Relação dos premiados:

Melhor Álbum Português: Deserto/Nuvem”, de Francisco Sousa Lobo (Chili com Carne)

Melhor Argumento para Álbum Português: Francisco Sousa Lobo, em “Deserto/Nuvem” (Chili com Carne)

Melhor Desenho para Álbum Português: Amanda Baeza, em “Bruma” (Chili com Carne)

Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira: “It’s No Longer I That Liveth”, de Francisco Sousa Lobo (Chili com Carne/Mundo Fantasma)

Melhor Álbum de Autor Estrangeiro: “Os Ignorantes”, de Étienne Davodeau (Levoir/Público)

Melhor Álbum de Tiras Humorísticas: “Conversas com os Putos”, de Álvaro (Polvo)

Melhor Desenhador Português de Livro de Ilustração: Tiago Albuquerque e Nadia Albuquerque, em “Sou o Lince-Ibérico” (Imprensa Nacional Casa da Moeda)

Melhor Desenhador Estrangeiro de Livro de Ilustração: Jimmy Liao, em “Noite Estrelada” (Kalandraka)

Prémio Clássicos da 9ª ArteRonin”, de Frank Miller (Levoir/Público)

Melhor Fanzine: Outro Mundo Ultra Tumba”, de Rudolfo Mariano (Edição de Autor)

Destaque pela qualidade das colectâneas: “Sandman”, de Neil Gaiman (Levoir/Público)

Destaque pela qualidade das colectâneas: “O Mundo de Garfield (1978-1983)”, de Jim Davis (Verbo)

O Festival Amadora BD encerrou as suas portas no passado domingo, dia 12 de Novembro, mas para o ano haverá mais, com exposições de certeza tão interessantes como as que estiveram patentes, desde 27 de Outubro, no Fórum Luís de Camões (Brandoa) e noutros locais.

Quanto aos prémios, algumas das escolhas não nos pareceram as mais acertadas… mas, em questão de concursos, os júris são soberanos, por isso o que conta são as obras e os autores que estarão em destaque no próximo ano, entre eles Étienne Davodeau e Frank Miller.

O respeito pelo veredicto do júri não nos impede, porém, de lamentar a ausência das Edições Asa da lista de vencedores, pois a colecção de Valérian (embora incompleta) foi, sem dúvida, uma das melhores do ano. Tal como as de Garfield e de Sandman, justamente distinguidas com uma menção especial. 

E mais haveria a dizer no tocante aos clássicos e à sua rigorosa definição (Bastam 10 anos para uma obra se tornar um clássico? Podemos medir esse conceito somente pelo seu êxito comercial e artístico?)… mas ficamos por aqui.

Uma sugestão, apenas, porque cremos que esta é a categoria onde, de ano para ano, há mais candidatos e, portanto, mais dificuldade de escolha: por que não dividi-la em dois géneros, colectâneas (devido ao peso que têm numa edição) e álbuns singulares?

Pôr estes a competir com “pesos pesados”, misturando tudo no mesmo “saco”, como tem sucedido até agora, não nos parece boa ideia. Com resultados nem sempre felizes, para uns e para outros…  

Amadora BD 2017 – última semana

O Festival Amadora BD continua a decorrer até ao próximo domingo, dia 12 de Novembro, com um punhado de magníficas exposições a não perder, desde as de Will Eisner e Jack Kirby (comemorativas do seu centenário) e dos portugueses Nuno Saraiva e Rui Pimentel, que estão patentes no Fórum Luís de Camões, à de Fernando Relvas na Galeria Artur Bual. Mas há mais, como podem ler no programa anexo…

Além da cenografia, que reforça um dos aspectos mais positivos do Amadora BD, nas suas anteriores edições, e do valor artístico da maioria dos trabalhos expostos, outro pormenor que merece atenção é a quantidade de figuras representadas no cartaz do Festival, da autoria de Nuno Saraiva, cuja obra Tudo Isto é Fado! foi distinguida em 2016 com o prémio de melhor álbum português de BD.

Todas essas figuras são de personalidades célebres da Amadora, num perpassar de memórias que evocam sobretudo a actividade artística e cultural, desde o século XIX ao tempo presente, formando um ecléctico conjunto que nas páginas seguintes está devidamente identificado.

Entre elas, surgem alguns dos maiores vultos da BD portuguesa, como Stuart Carvalhais, António Cardoso Lopes Jr. (Tiotónio), José Garcês, José Ruy e Vasco Granja, moradores ou naturais do concelho da Amadora. Parabéns ao Nuno Saraiva, cujo prémio foi inteiramente merecido, pela ideia e pela realização deste cartaz, que é sem dúvida um dos mais interessantes da longa galeria do Amadora BD!

Exposição de Anica Govedarica na Livraria Ler Devagar (LX Factory)

Originária da Croácia, Anica Govedarica, que forma com Fernando Relvas um casal de artistas, é uma pintora e ilustradora já com apreciável currículo, cuja obra mais recente está exposta na Livraria Ler Devagar (sita na rua principal da LX Factory — uma antiga fábrica de grandes dimensões que se transformou num dos sítios mais concor- ridos de Alcântara, conjugando comércio, cultura e diversão).

Vale a pena uma demorada visita, até ao próximo dia 23 de Novembro, tanto à livraria, cujas imponentes estantes sobem até aos tectos altos, como à exposição de Anica, patente no 1º andar, onde pairam gaivotas habitantes de lugares urbanos que coexistem, harmonicamente, com outras realidades que desconhecemos. Os quadros e a original inspiração de Anica são a chave desses “Mundos Alternativos”.

A Montra dos Livros e os Gatos, Gatinhos e Gatarrões, da Catherine Labey (que também gostam de gaivotas), ficaram encantados.

O mundo mágico de Harry Potter em exposição na British Library

Artigo publicado no Diário de Notícias, edição de 23 de Outubro p.p., de onde o reproduzimos, com a devida vénia.

Amadora BD 2017 – um Festival que tem por tema a reportagem

O Amadora BD está de novo em destaque, no final deste mês de Outubro (é oficialmente inaugurado hoje, sexta-feira, dia 27, no Fórum Luís de Camões, e encerra em 12 de Novembro), apresentando um programa subordinado ao tema “A Reportagem na Banda Desenhada”.

Pontos fortes: a exposição dedicada a Nuno Saraiva, autor da obra Tudo Isto é Fado, prémio de Melhor Álbum Português em 2016 (da sua autoria é também o “populoso” cartaz do Festival, acima reproduzido); e as exposições evocativas: O Espírito de Will Eisner Jack Kirby – 100 anos de um Visionário, em homenagem a dois “monstros sagrados”, ambos já centenários, pelo extraordinário contributo que deram a um dos meios de expressão mais dinâmicos do nosso tempo, revolucionando graficamente a forma de contar histórias.

Reproduzimos também um artigo publicado no semanário Expresso de 21 do corrente mês, que complementa esta breve informação sobre o Amadora BD 2017 — e aconselhamos os mais interessados a consultar o blogue Divulgando Banda Desenhada, onde Geraldes Lino acompanha o programa do Amadora BD com a sua hábil faceta de repórter.

    

A corrida mais louca de Astérix – entrevista com os autores Ferri e Conrad

Entrevista aos novos autores de Astérix publicada no jornal Público, edição de 19/10/2017, que reproduzimos com a devida vénia.

“Branca de Neve” e “Bambi” nos jornais: duas novas exposições do Clube Português de Banda Desenhada

Quem não se lembra da “Branca de Neve e os Sete Anões” e do “Bambi”, dois filmes de desenhos animados, como eram conhecidos nessa época, que atraíram multidões às salas de cinema? Hoje, o género chama-se simplesmente Animação, um título mais categorizado, sem dúvida, e que já se tornou candidato permanente aos Óscares, de tal modo que, nos últimos tempos, os estúdios especializados (sobretudo nos EUA) não param de criar novos filmes, de forma cada vez mais inovadora e arrojada, em consequência dos enormes progressos da técnica e das lucrativas receitas de bilheteira que esta indústria continua a obter junto de numeroso público de todas as idades.

Pois estes dois memoráveis clássicos, tal como muitos outros realizados nos Estúdios de Walt Disney, foram também adaptados à Banda Desenhada e de uma forma extraordinária na sua concepção, devido ao trabalho de grandes desenhadores da época. Sobre estas páginas já passaram algumas décadas, mas mantêm-se inalteráveis na sua beleza e sedução. Por isso, vale a pena visitar as duas originais exposições que o Clube Português de Banda Desenhada inaugura amanhã, sábado, pelas 17h00, na sua sede, sita na Avenida do Brasil, 52A – Falagueira – 2700-134 Amadora. Uma ocasião a não perder, se gosta de Desenhos Animados e de Banda Desenhada!

Clube Português de Banda Desenhada – Assembleia Geral e 4 novas exposições

Por António Martinó de Azevedo Coutinho (Largo dos Correios)

O Clube Português de Banda Desenhada convocou os seus associados para participarem numa Assembleia Geral, que se irá realizar no próximo dia 14 de Outubro (sábado), pelas 16h00, nas instalações da sede, sita na Avenida do Brasil, 52A – Falagueira – 2700-134 Amadora. A referida Assembleia terá como ordem de trabalhos a eleição dos elementos constantes de uma lista, conhecida e divulgada, candidata aos Órgãos Sociais do CPBD para o novo mandato de 2017/2019.

Os nomes propostos confirmam, na prática, os responsáveis pela corrente gestão do Clube, autores de uma obra a todos os títulos notável. Creio, por isso e dada a unanimidade reconhecida, que a continuação do excelente trabalho realizado está amplamente assegurada (…) e a qualidade/quantidade da obra é tanto mais válida quanto se deve reconhecer que este exuberante período se seguiu a décadas em que o Clube apenas sobreviveu dada a militância de uma meia dúzia de apaixonados pelos quadradinhos que nunca deixou morrer uma chama “sagrada” mínima.

A sede disponibilizada pela autarquia da Amadora, capital nacional da BD, proporcionou um local que tem sido constantemente dinamizado com diversas realizações, para além das intervenções do Clube noutros locais como, por exemplo, a Bedeteca da Amadora ou a Biblioteca Nacional de Lisboa.

No próprio dia da Assembleia Geral do Clube Português de Banda Desenhada, a nossa sede vai ser local de abertura de mais quatro (!) exposições públicas, cujos [primeiros] convites se anexam. Como exemplo de esclarecida, permanente e coerente intervenção em defesa da causa dos quadradinhos, dificilmente se poderia exigir mais…

Tenho orgulho em pertencer a uma associação tão dinâmica e tão bem dirigida, crescentemente merecedora de reconhecimento cultural público.

(Nota: texto reproduzido, com a devida vénia, do blogue “Largo dos Correios”, administrado por António Martinó de Azevedo Coutinho).

Previous Older Entries

Le chat dans tous ses états - Gatos... gatinhos e gatarrões! de Catherine Labey

Pour les fans de chats e de tous les animaux en général - Para os amantes de gatos e de todos os animais em geral

largodoscorreios

Largo dos Correios, Portalegre

Interesting Literature

A Library of Literary Interestingness

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa