Uma nova exposição de pintura de Nina Govedarica

Nina Govedarica, artista de origem croata e esposa do saudoso Fernando Relvas, falecido em Novembro de 2017, inaugura no próximo sábado, dia 7 de Julho, às 17h00, uma nova exposição de pintura, com o título “Quietude”, na Livraria e Galeria Leituria, sita na Rua Dona Estefânia, 123-A, Lisboa.

À Nina, as nossas felicitações pela obra pictórica que tem realizado, com temas que despertam sempre a atenção, expondo-a ao público com frequência.

Advertisements

Exposições no CPBD e na Bedeteca da Amadora

Exposição do CPBD, dedicada a Viriato na Banda Desenhada

Por amabilidade de Carlos Gonçalves, membro da Direcção do Clube Português de Banda Desenhada, recebemos uma reportagem fotográfica das sessões realizadas no passado sábado, dia 2 de Junho, na Bedeteca da Amadora e na sede do CPBD (como oportunamente anunciámos), durante a inauguração de várias exposições e do lançamento (há muito aguardado) do álbum de Fernando Relvas “O Espião Acácio” — obra incontornável, autêntico clássico, de um dos maiores nomes da BD portuguesa —, coincidindo com a mostra dedicada aos 50 anos da revista Tintin (edição Bertrand), onde ela foi originalmente publicada.

Partilhamos com os nossos leitores algumas imagens desses eventos, com agradecimentos a Carlos Gonçalves e ao repórter Dâmaso Afonso.

Exposição do CPBD: Viajantes de Papel na Lusofonia Gráfica

Exposição 50 anos da revista Tintin, na Bedeteca da Amadora

Catherine Labey e Anica Govedarica

Sessão de lançamento do álbum “O Espião Acácio” (Bedeteca da Amadora)

Assistência atenta durante a apresentação do álbum de Fernando Relvas

Mesa de apresentação do álbum O Espião Acácio”

Exposição na Bedeteca da Amadora: “Revista Tintin – 50 Anos”

Homenagem a Fernando Relvas e à revista “Tintin”

Programa oficial da Mostra Coimbra BD 2018 (8 a 11 de Março)

A Coimbra BD – Mostra Nacional de Banda Desenhada avança para a sua terceira edição, que vai decorrer de 8 a 11 de Março, e apresenta-se como uma aposta firme da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) no panorama cultural. Esta edição, que se irá concretizar, principalmente, na Casa Municipal da Cultura, apresenta um conjunto de acções que procuram representar o que de melhor se cria ao nível da Banda Desenhada, atingindo públicos diversos, desde o infanto-juvenil às famílias e a todos aqueles que, em diferentes faixas etárias, cultivam o gosto por esta expressão artística, perspectivando-se um aumento dos níveis de fidelização ao evento.

Na esteira do êxito alcançado nas edições anteriores, a edição de 2018 da Coimbra BD aposta num programa diversificado e de elevada qualidade, destacando-se pela sua primeira internacionalização, com a presença de dois convidados, oriundos de Itália (Walter Venturi) e da Sérvia (R.M. Guéra). Além destes, marcam presença cinco autores nacionais convidados, representantes da escrita, do argumento para BD ou da criação artística, ao nível da ilustração, áreas reveladoras do vasto universo da “9.ª Arte”. Destaque ainda para a exposição 70 Anos de Tex: A colecção de José Carlos Francisco.


PROGRAMA OFICIAL – COIMBRA BD 2018 (CASA MUNICIPAL DA CULTURA DE COIMBRA)

 

8 de Março (5ª feira)
11h00 Abertura

14h30 – Apresentação do projecto SAPATA PRESS – Casa da Esquina (Sala Francisco Sá de Miranda)

15h30 – Oficina criativa Mulher de Borracha – Casa da Esquina (Sala Francisco Sá de Miranda)

21h00 – Jogos tabuleiro (Sala Francisco Sá de Miranda)

Águia da Noite e Kit Willer de canoa no rio Mondego, à chegada a Coimbra. Arte de Walter Venturi

9 de Março (6ª feira)
19h00 – Visita guiada à exposição 70 anos de Tex, com José Carlos Francisco e Walter Venturi

21h00 Curtas-metragens de terror premiadas no Festival de Cinema MoteLx apresentadas por Pedro Souto e João Monteiro, da direcção do Festival (Sala Silva Dias) – duração 67 min:
“A tua Plateia”, de Óscar Faria, (9 min).
“Palhaços” de Pedro Crispim (15 min) – Menção especial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2016
“Depois do Silêncio” de Guilherme Daniel (15 min) – Menção especial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2017
“Andlit” de João Figueira (5 min)
“Sangue Frio”, de Patrick Mendes (15 min)
“Papá Wrestling”, de Fernando Alle (9 min) – Prémio especial MoteLX 2009.

10 de Março (sábado)
11h00 “Filminhos Infantis à solta pelo país”, sessão de curtas-metragens de animação para a família: Programação Zero em Comportamento (Sala Silva Dias):
“Maestro”, de Geza M. Toth (Hungria),
“O Coelho e o Veado”, Péter Vácz (Hungria),
“Foxy e Meggy” – André Letria (Portugal)
“As Aventuras de Miriam: As Cores”,  Girlin-Bassovskaja (Estónia)
“Mancha e Manchinhas: Perdidos”, Uzi Geffenblad e Lotta Geffenblad (Suécia)
“Big Buck Bunny”, Sacha Goedegebure (Holanda)
“Rumores”, Frits Standaert (Bélgica/ França)

11h00/13h00 – Workshop: Uma sequência de imagens”, com Carlos Correia (duas sessões de duas horas sobre imagem sequencial através do uso de brinquedos ópticos – mediante inscrição presencial) (Sala Francisco Sá de Miranda)

14h00/15h00 – Emissão em directo do programaConta-me!”, da Rádio Universidade de Coimbra, com Sandra Tavares e Cátia Soares (Biblioteca Municipal)

15h00/15h30 – Tertúlia: Coleccionar originais de BD: Negócio, ou Paixão?, com João Antunes, Margarida Mesquita, Bruno Caetano (Biblioteca Municipal)
15h30/16h00 – Painel: Apresentação dos livros Dragomante, com Manuel Morgado e Filipe Faria e Man Plus, com André Lima Araújo (Biblioteca Municipal)
16h00/18h00 – Sessões de autógrafos dos artistas convidados R.M. Guéra, Walter Venturi, André Lima Araújo, Manuel Morgado, Filipe Faria, André Diniz e Ricardo Venâncio (átrio da Casa Municipal da Cultura)

17h00 – Desfile e concurso de Cosplay (Sala Silva Dias)

17h00 /18h00Tertúlia sobre edição: presença dos editores Nuno Catarino (Goody), Mário Freitas (Kingpin), Rui Brito (Polvo) e José de Freitas (G Floy) (Biblioteca Municipal)

18h30Sessão de desenho com modelo ao vivo: Salão 40 (Sala Francisco Sá de Miranda)

18h00/18h30Tertúlia de homenagem a Fernando Relvas: Com Nina Govedarica, Margarida Mesquita e João Queirós (Biblioteca Municipal)

18h30/19h00 – Painel: 70 Anos de Tex, com José Carlos Francisco e Mário João Marques (Biblioteca Municipal)

21h00 Curtas-metragens de terror premiadas no MoteLx (Sala Silva Dias) – duração 65 min.
“Nico – A Revolta”, de Paulo Araújo (8 min) – Selecção oficial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2013
“Mãe Querida” de João Silva Santos (14 min)  – Selecção oficial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2017
“Post-Mortem” de Belmiro Ribeiro (14 min) – Vencedor Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2016
“Miss Mishima” de Pedro Rocha (14 min) – Selecção oficial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2011
“Maria”, de Joana Viegas (15 min) – Selecção oficial Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2014
21h00 – Jogos tabuleiro (Sala Francisco Sá de Miranda)

11 de Março (domingo)
11h00Filminhos Infantis à solta pelo país, sessão de curtas-metragens de animação para a família – Programação Zero em Comportamento (Sala Silva Dias)
“A Janela”, Camille Müller (França)
“Os Tumblies”, Patrick Raats,  (Holanda)
“Jonas e o Mar”, Marlies Van der Wel, (Holanda)
“O Rapaz Bolota”, Dace Riduze, (Letónia)
“Os porcos-Espinhos e a Cidade” Evalds Lacis, (Letónia)
“Mancha e Manchinhas: Sapatos Mágicos”, Uzi Geffenblad e Lotta Geffenblad (Suécia)
“Fábulas Delirantes 2”, Fabrice Luang Vija, (França/ Bélgica)

11h00/13h00 – Workshop Uma sequência de imagens, por Carlos Correia (duas sessões de duas horas sobre imagem sequencial através do uso de brinquedos ópticos – mediante inscrição presencial) (Sala Francisco Sá de Miranda)

15h00/15h30 – Podcast Geek do Olimpo. Programa para o canal YouTube sobre BD e cultura geek, com Miguel Jorge e convidados (Biblioteca Municipal)

15h30/16h00Visita guiada à exposição de R.M. Guéra feita pelo autor.

16h00/18h00 – Sessões de autógrafos dos artistas convidados Walter Venturi, R. M. Guéra, Ricardo Venâncio, Manuel Morgado e Filipe Faria (entrada da Casa Municipal da Cultura)

Tex Willer na interpretação de R. M. Guéra

Actividades permanentes

Venda BD, ilustração e merchandising
Com as editoras e lojas Apocryphus, Arena Porto, Arte de Autor, BD Mania, Bicho Carpinteiro, Bruaá Editora, CLC Portugal, Comic Heart, Devir, G Floy, Goody, Ink Tshirt Store, JAN KEN PON, Kingpin Books, Levoir, Livraria Dr. Kartoon, Mini-Orfeu, Polvo

Exposições:

Walter Venturi: um mestre dos fumetti – Desenhador italiano que tem trabalhado nas séries Tex e Zagor, da editora Bonelli, e é autor da novela gráfica Il Grande Belzoni (dedicada à vida do grande egiptólogo Giovanni Battista Belzoni, que foi um dos responsáveis pela descoberta de Abu Simbel e o primeiro homem a entrar na segunda pirâmide de Gizé), Walter Venturi vai estar pela primeira vez em Portugal com exposição própria, para além de ter trabalhos seus integrados na exposição dedicada aos 70 Anos de Tex.

R.M. Guéra: um autor sérvio no mercado internacional – Com trabalhos publicados nos principais mercados internacionais, desde os Estados Unidos, onde publicou nas editoras DC, Vertigo, Marvel e Image, até França (Glenat e Delcourt), passando por Itália, para onde está a desenhar um álbum especial do cowboy Tex, o sérvio Rajko Miloševic-Gera é um dos nomes maiores da BD realista internacional, que permanecia inédito em Portugal. Lacuna que será colmatada pela edição do livro The God Damned , a lançar no Coimbra BD, com a presença do autor e o apoio da editora G Floy.

70 Anos de Tex: A colecção de José Carlos Francisco – Um português, residente perto de Coimbra (Anadia), é proprietário da mais importante colecção de desenhos originais ligados à personagem Tex, o mais célebre cowboy da BD italiana, que comemora 70 anos em 2018. Uma fantástica colecção com trabalhos de diversos autores estrangeiros, que será exposta em público, pela primeira vez, no Coimbra BD.

Manuel Morgado – Desenhador português que fez a sua formação académica em Coimbra, na ARCA, Manuel Morgado vai expor originais do álbum Les Arcanes de la Lune Noire: Greldinard, que realizou para a editora francesa Dargaud, bem como de Dragomante, livro com argumento do escritor de fantasia Filipe Faria, que será lançado durante o evento.

Homenagem a Fernando Relvas – Falecido em 2017, Fernando Relvas foi um dos mais importantes autores portugueses de BD do século XX e, por ocasião da próxima publicação em livro do Espião Acácio, o seu primeiro grande sucesso na revista Tintin, a lançar no Coimbra BD, alguns dos seus trabalhos originais serão expostos pela primeira vez na nossa cidade (com a presença da viúva do autor).

André Lima Araújo: Man Plus – Exposição que assinala a estreia em Portugal de André Lima Araújo, desenhador português que tem publicado regularmente nas principais editoras americanas, como a Marvel e a Image.

Arcindo Madeira, ilustração – referente à obra de Arcindo Madeira, famoso ilustrador natural de Coimbra.

Autores Presentes:

Convidados internacionais
Walter Venturi
R. M. Guéra

Convidados Nacionais

Manuel Morgado – Autor presente com exposição
Filipe Faria – Escritor de fantasia, argumentista do livro Dragomante
André Lima Araújo – Autor presente com exposição
Ricardo Venâncio – Autor presente com o livro Hanuran, Prémio Melhor Desenho na Comic Con Portugal 2017, que esteve em exposição pela primeira vez na edição desse ano.
Nina Godoverica – Viúva do autor Fernando Relvas

Programação paralela:
Exposição de ilustração Histórias por contar, de João Vaz de Carvalho, Galeria Pedro Olayo (filho) do Convento São Francisco, 3 de Março a 8 de Abril de 2018, de segunda-feira a domingo, 15h00 – 20h00.

(“Post” reproduzido do Tex Willer Blog. Para aproveitar a extensão completa das imagens supra, clique nas mesmas)

Fernando Relvas: homenagens póstumas na imprensa portuguesa – 2

Artigo publicado no jornal I, edição de 24/11/2017, de onde o reproduzimos com a devida vénia.

Fernando Relvas: homenagens póstumas na imprensa portuguesa – 1

Artigo de Luís Miguel Queirós, Público, 22/11/2017

Artigo de F. Cleto e Pina, Jornal de Notícias, 22/11/2017

Artigo de Maria João Caetano, Diário de Notícias, 22/11/2017

(Nota: para ler os textos, aproveitando a extensão completa das imagens, clique nas mesmas).

Morreu Fernando Relvas, um dos maiores criadores da moderna BD portuguesa

O autor de banda desenhada (BD) Fernando Relvas morreu [ontem] de madrugada na Amadora, onde vivia, revelou o director do Amadora BD, Nelson Dona, que o recordou como um dos “autores-chave da BD contemporânea portuguesa”.

Fernando Relvas, de 63 anos, morreu no Hospital Amadora- -Sintra e até ao início da tarde ainda não tinham sido marcadas as cerimónias fúnebres.

Fernando Relvas, que nasceu em Lisboa em [20 de Setembro] 1954, começou a publicar os primeiros trabalhos aos 20 anos, em meados da década de 1970, somando colaborações em várias publicações da imprensa portuguesa, nomeadamente as revistas Fungagá da Bicharada, Tintin e Mundo de Aventuras, o semanário Se7e, a revista Sábado e o Diário de Notícias.

Algumas das histórias e pranchas publicadas na imprensa foram depois reunidas em álbum, como “Karlos Starkiller”, “Çufo”, “Em Desgraça”, “As Aventuras do Pirilau: o Nosso Primo em Bruxelas” e “L123 – seguido de Cevadilha Speed”.

Mais recentemente, saiu o álbum “Sangue Violeta e Outros Contos”, que reúne as histórias “Sangue Violeta”, “Taxi Driver” e “Sabina”, publicadas no Se7e, premiado como clássico da Nona Arte no Festival de BD da Amadora.

Para o director do Amadora BD, “faleceu um dos autores-chave da BD contemporânea portuguesa, que trabalhou em todo o tipo de BD, com registos gráficos brilhantes muito diferentes, e também em narrativas diferentes, da infantil até à só para adultos”.

A “obra extensíssima” de Fernando Relvas foi “apresentada várias vezes na sua cidade, a Amadora”. Entre Janeiro e Abril deste ano, a Bedeteca da Amadora acolheu a exposição retrospectiva “Horizonte, Azul Tranquilo”, dedicada a Fernando Relvas, que o responsável da mostra, Pedro Moura, descreveu como “um verdadeiro sismógrafo da sociedade portuguesa e global das últimas décadas”. A exposição mostrava trabalhos publicados em fanzines, em auto-edição, em revistas de banda desenhada, como a Tintin, e outra imprensa, como o semanário Se7e.

“A lavra de Fernando Relvas é uma obra maior no panorama nacional, ainda que sob muitos aspectos fragmentária”, reconheceu o programador na altura da inauguração, em declarações à Lusa. Pedro Moura falava de um “percurso nervoso por entre géneros e humores, métodos e técnicas, veículos de publicação e modos de produção e circulação, que servirá de retrato de uma incessante e intranquila busca pela expressividade própria da banda desenhada”.

Artigo reproduzido do DN Artes online (21/11/2017)

Mais uma grande perda para a BD portuguesa, no espaço de um ano assinalado também pelo desaparecimento de Carlos Alberto Santos (Novembro 2016), Mascarenhas Barreto e Maria Isabel de Mendonça Soares (Janeiro 2017).

Este blogue, em nome de Jorge Magalhães e Catherine Labey, apresenta os seus sentidos pêsames à família enlutada e, em particular, à sua esposa Anica Govedarica. Ainda recentemente estivemos na inauguração de uma belíssima mostra de pintura desta artista croata, patente até há poucas semanas na livraria Ler Devagar (LX Factory), e ficámos consternados por ver Fernando Relvas num estado de grande debilidade física. Seguiu-se o internamento, devido a duas quedas, no hospital Egas Moniz, onde foi sujeito a uma operação à coluna, e depois a transferência para o Amadora-Sintra, onde acabou por falecer ontem de madrugada, vítima de pneumonia.

O seu corpo estará em velório, para quem lhe quiser prestar as últimas homenagens, na antiga Galeria Municipal, edifício da Câmara da Amadora, a partir da tarde de quinta-feira, dia 23 de Novembro.

Recordamos com saudade e com muito afecto a nossa longa amizade, desde que o conhecemos pessoalmente — a Catherine ainda nos seus tempos de juventude, quando ambos colaboravam no Fungagá da Bicharada, e eu no Mundo de Aventuras, onde Relvas chegou a publicar alguns trabalhos inéditos, colaboração que se estendeu também a outras revistas que coordenei, como O Mosquito (5ª série) e Selecções BD (2ª série). Uma dessas histórias irá ser reeditada brevemente no blogue O Voo d’O Mosquito.

A título também de homenagem, relembramos a exposição “Fernando Relvas e a Revista Tintin”, inaugurada em 16/5/2014 no extinto CNBDI (Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem), onde hoje se localiza a sede do CPBD (Clube Português de Banda Desenhada). Essa mostra assinalou a entrada da obra de Fernando Relvas, artista locatário da Amadora e Prémio Nacional Amadora BD 2012, na importante e vasta colecção de originais da CMA/CNBDI, actualmente depositada na Bedeteca da Amadora.

Em finais de Outubro p.p., Relvas teve ainda a satisfação de assistir à abertura da sua nova mostra, na Galeria Artur Bual, integrada no 28º Festival Amadora BD, com uma abordagem retrospectiva (e não só) da sua obra, organizada por João Miguel Lameiras. 

Duas novas exposições no CPBD

Com dois temas aliciantes, estas novas exposições do Clube Português de Banda Desenhada (CPBD) merecem o interesse de todos os sócios que possam deslocar-se à sua sede e do público em geral. Depois da respectiva inauguração, no próximo dia 3 de Junho (sábado), com começo às 15h30 (mostra de Fernando Relvas), terá início, pelas 16h30, a Assembleia Geral do Clube, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 – Aprovação das contas de 2016

2 – Aprovação do Relatório e Parecer do Conselho Fiscal do CPBD

3  – Aprovação do Plano de Atividades do CPBD até 31/12/2017

Exposição retrospectiva de Fernando Relvas na Bedeteca da Amadora

expo-relvas

Bedeteca da Amadora – Horário: terça-feira a sábado, das 10h às 18h – Av. Conde Castro Guimarães, 6 – 2720-119, Amadora.

Exposição e venda de originais de Fernando Relvas

postal

A não perder, no Espaço Arte (Livraria Europa-América), de 21 de Janeiro a 6 de Fevereiro. 120 pranchas originais de algumas das melhores histórias de Fernando Relvas.

WordPress.com Apps

Apps for any screen

Le chat dans tous ses états - Gatos... gatinhos e gatarrões! de Catherine Labey

Pour les fans de chats e de tous les animaux en général - Para os amantes de gatos e de todos os animais em geral

largodoscorreios

Largo dos Correios, Portalegre

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa