Os Gatos e o Crime (6) – Anthony Gilbert

bench_4aAnthony Gilbert, pseudónimo de Lucy Beatrice Malleson, nascida a 15 de Fevereiro de 1899, em Londres, e falecida na mesma cidade a 9 de Dezembro de 1973, foi um dos mais notáveis autores de romances policiais britânicos que encetaram a sua carreira de escritor durante a idade de ouro do policiário (1920 a 1939). Todavia, a sua obra foi muito pouco estudada pelos especialistas na matéria e há bastante tempo que não é lamentavelmente reeditada.

Lucy Beatrice Malleson viu a luz do dia em Upper Norwood, no distrito londrino de Croydon. Fez os seus estudos em St. Paul’s Girls’ School de Hammersmith, depois trabalhou durante algum tempo como secretária, nomeadamente na Cruz-Vermelha, antes de se consagrar unicamente à escrita, apesar dos desejos maternos de vê-la fazer carreira como professora primária.

Em 1922, depois de ter assistido à peça de teatro de John Willard com o título The Cat and the Canary, experimentou escrever uma história policial, 220px-CatandtheCanaryPostermas sem qualquer êxito, até à publicação em 1927 do seu primeiro livro com o pseudó- nimo de Anthony Gilbert: The Tragedy at Freyne. Com esse nome publicou muitos romances policiais que obtiveram grande sucesso e lhe deram fama na literatura policial britânica, embora a maioria dos seus leitores acreditasse sempre estar perante um autor do sexo masculino.

Os seus personagens, o político Scott Egerton, que aparece em dez romances, e o advogado cockney Arthur G. Crook, que intervém em cinquenta, têm a particula- ridade de saír do corriqueiro. Arthur Crook, sobretudo, revela ideias singulares. Para provar a inocência de um dos seus clientes, não hesita em contornar a lei e ser tão retorcido como o famoso Perry Mason, de Erle Stanley Gardner.

Miss Fanny desaparece 943Grande amador de cerveja e tão obeso como o Nero Wolfe de Rex Stout, Crook serve-se do seu Rolls Royce para percorrer a distância entre a sua casa londrina de Brandon Street e o seu gabinete, no nº123 da Bloomsburry Street. No último andar de um prédio deteriorado, num bairro miserá- vel, esse escritório parece-se mais com um tugúrio do que com um local de boa aparência onde um homem de leis sério e aprumado recebe os seus clientes.

De qualquer modo, Crook prefere ao seu escritório o pub da zona, onde se confunde com o cenário com o seu casaco e as suas calças castanhos e sempre amarrotados. Essa falta de respeito pelas convenções e as aparências é, contudo, um índice das suas capacidades para adivinhar, sob a máscara dos fingimentos, as motivações e as acções de perigosos delinquentes.

Principal protagonista dos livros de Gilbert, a partir de 1936, o mundano e belicoso advogado-detective cockney Arthur Crook foi considerado uma original contribuição à grande falange dos detectives de ficção.

Anthony Gilbert (obra original)Durante cerca de meio-século, de 1925 até à sua morte em 1973, Malleson publicou mais de setenta romances policiais, a grande maioria com o seu pseudónimo mais conhecido: Anthony Gilbert; além de dois mistérios como J. Kilmeny Keith e outras obras, nos primórdios da sua carreira, como Anne Meredith, sendo a mais conhecida Portrait of a murderer.

Embora Malleson não fosse membro fundador do Detection Club, como por vezes se diz erradamente, tornou-se iniciada muito cedo, juntando-se à instituição em 1933, na companhia de Gladys Mitchell e E. R. Punshon. Margery Allingham inscreveu-se no ano seguinte e John Dickson Carr em 1936. Sendo um dos membros mais antigos e activos do Clube, Malleson, tal como Dorothy L. Sayers, impediu a sua total desagregação, durante a 2ª Guerra Mundial.

Colecção Xis - O Gato pretoUm dos livros que justifica a inclusão de Anthony Gilbert nesta rubrica tem como título original Is she dead too? (1955), que nos EUA se transformou em A Question of murder e na edição portuguesa da Colecção Xis nº 51, com tradução e prefácio de Joel Lima (pseudónimo de Lima da Costa), deu, como variante, Ruth e o Gato Preto. Crook ajuda Ruth Appleyard, uma esperta garota de sete anos envolvida em vários casos de mortes suspeitas, que nunca se separa do seu amigo felino.

Na Xis, uma das mais emblemáticas colecções portuguesas do género, foram ainda publicados os seguintes romances de Anthony Gilbert: Miss Fanny Desaparece (nº 18), A Morte Bateu Três Vezes (nº 29) e O Ardil da Velha Demente (nº 62). Refira-se também a menos popular Colecção Policial, da mesma época, onde saíram dois dos seus livros: A Herança Trágica (nº 30) e Sequestrada (nº 33).

Talvez porque Lucy Malleson queria proteger a sua vida privada e a sua identidade, para manter os leitores na ilusão, ainda não se encontrou nenhuma fotografia desta notável autora inglesa de romances policiais, que muitos leigos continuam a confundir com um homem.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WordPress.com Apps

Apps for any screen

Le chat dans tous ses états - Gatos... gatinhos e gatarrões! de Catherine Labey

Pour les fans de chats e de tous les animaux en général - Para os amantes de gatos e de todos os animais em geral

largodoscorreios

Largo dos Correios, Portalegre

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

%d bloggers like this: